Observatório da Imprensa, fonte de olhar crítico sobre a mídia.

22-06-arquivo-observatorioimprensa

Em abril deste ano, a organização francesa “Repórteres sem Fronteiras” apontou que o Brasil está no 104º lugar do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa, entre 180 países. Em comunicado, a organização analisa que essa posição não é a esperada para um país que deveria ser referência regional e que, em 2010, esteve em 58º lugar.

Os motivos seriam o aumento de casos de violência contra jornalistas, além do “coronelismo eletrônico”, que significa uma clara concentração dos meios de comunicação nas mãos de poucas e tradicionais famílias. A atual instabilidade política e econômica também trouxe mais conflitos de interesses entre as empresas e a qualidade das notícias.

Essa atual situação da mídia brasileira só torna ainda mais necessárias as críticas sobre o que é o jornalismo no Brasil para uma mudança positiva. Mas a crítica deve ser permanente e não só em momentos de crise. Com esse pensamento, surgiu o “Observatório da Imprensa”, que neste ano completou seus 20 anos de vigília da mídia brasileira.

O Observatório da Imprensa nasceu no Labjor, o Laboratório de Estudos Avançados de Jornalismo da Unicamp, em 1996. A publicação começou em versão online comandada pelo jornalista Alberto Dines com a colaboração de Carlos Vogt do Labjor e de José Marques de Melo da USP. Em 1998, inaugurou sua versão televisiva e em 2005 sua versão radiofônica.

Os movimentos de Crítica da Mídia surgiram nos Estados Unidos na década de 60, embora no Brasil algumas ideias similares tivessem surgido, como a coluna “O Jornal dos Jornais” da Folha de S. Paulo na década de 70, a crítica brasileira só veio se fortalecer com o Observatório da Imprensa. Vale lembrar que no Brasil existem outros observatórios com perfis diferentes reunidos na Rede Nacional de Observatórios da Imprensa desde 2005.

Segundo artigo publicado na Revista Observatório de dezembro de 2015 (v.1, n.3), o diferencial do Observatório da Imprensa é sua diversidade de seções e discussões plurais que permitem a reflexão e a valorização do jornalismo com a ética e a imprensa livre. Além de ser um espaço de discussão sobre os erros da mídia e um canal para estudos de novas abordagens comunicacionais.

A importância do Observatório da Imprensa nesses últimos 20 anos será reconhecida no Prêmio Abraji de Contribuição ao Jornalismo, da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, que destaca pessoas e instituições que prestam serviços relevantes ao jornalismo brasileiro. O prêmio será entregue a Alberto Dines que sempre esteve à frente do Observatório da Imprensa. A sessão solene ocorrerá durante o 11º Congresso de Jornalismo Investigativo no dia 23 de junho de 2016.

Em comemoração ao serviço prestado pelo Observatório da Imprensa, não deixe de explorar mais o portal: observatoriodaimprensa.com.br. “Você nunca mais vai ler o jornal do mesmo jeito”.

Matéria de Kátia Kishi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *