Agroecologia propõe repensar a cadeia de produção de alimentos

wilon neto - agroecologia-  producao de alimentos - reforma agraria

Em entrevista ao Oxigênio, o pesquisador Wilon Mazalla Neto, que integra a Rede de Agroecologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), falou sobre esse modelo de produção e também sobre a relação da produção de alimentos com a reforma agrária.

Esta entrevista, que você pode ouvir na íntegra clicando no player acima, foi feita pela repórter Ana Paula Zaguetto no dia 19 de outubro.

O pesquisador analisou ainda a maneira como nos relacionamos com a alimentação atualmente, e sintetizou: “hoje em dia, as pessoas não sabem onde foi produzido seu alimento, como foi produzido ou quem produziu. Não muito longe no período histórico da vida brasileira, as cidades eram bem menores, o rural brasileiro era muito maior. As cidades eram cidades rurais, as pessoas sabiam quem estava produzindo seu alimento, elas conheciam nominalmente, elas sabiam qual o sítio onde eram produzidos seu alimento. Isso é um processo que tem mudado de uma forma muito brutal e muito veloz na sociedade, a ponto de hoje, em várias situações em que a gente vai fazer debate, vai conversar nas escolas e em outros espaços, as crianças acham que o leite vem da caixinha e da fábrica.”

Oxigênio na SNCT

Esta entrevista fez parte das atividades da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT 2016) por meio do projeto “1, 2, Feijão com Arroz, 3, 4, Ciência no Rádio”. Foi uma realização do programa Oxigênio web rádio e podcast por meio do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Unicamp em parceria com a Web Rádio Unicamp. O projeto contou também com Helena Gomes na produção da vinheta, do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação (NEPA) da universidade na produção de pautas e conteúdos, e financiamento via Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Governo Federal.

Cultura, ciência e tecnologia para você ler e ouvir, online e offline. Avalie o Oxigênio pelo seu aplicativo de celular, envie seus comentários e siga o programa nas redes sociais! Clique aqui para acessar nosso Twitter, e aqui para ir direto à nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *