#50 Temático: Quem matou a última preguiça gigante?

Por muito tempo, a América do Sul foi uma terra de gigantes. Andaram por aqui tatus do tamanho de fuscas, tigres-dente-de-sabre, mastodontes e as nossas favoritas: as preguiças gigantes, pesando até quatro toneladas. Então, há cerca 10 mil anos, essas espécies da megafauna desapareceram. No Oxigênio #50, buscamos os responsáveis pela extinção das preguiças gigantes e dos outros grandões.

Será que as preguiças gigantes foram caçadas pelos homens, que chegaram no continente justamente nesse período? Será que morreram por conta das intensas variações climáticas que ocorreram no final do Pleistoceno e começo do Holoceno? Ou será que foram extintas por conta de uma combinação das duas coisas: a ação humana e o clima?

A equipe do Oxigênio conversou com três especialistas para tentar entender esse crime: Mathias Pires, professor do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Bernardo Araújo, doutorando em Ecologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Alex Hubbe, professor do Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

A apresentação do programa foi de Sarah Azoubel Lima e Bruno Moraes, com colaboração de Maria Letícia Bonatelli e Beatriz Guimarães e trabalhos técnicos de Octávio Augusto Fonseca.

Depois de ouvir o #50, mande para a gente seus comentários e sugestões. Estamos no Twitter (@oxigenio_news), Instagram (@oxigeniopodcast) e Facebook (/oxigenionoticias). Se preferir, mande um e-mail para oxigenionoticias@gmail.com.

ERRATA: diferentemente do que foi dito no programa, rinocerontes-brancos têm chifres de queratina, não de marfim.

Um comentário sobre “#50 Temático: Quem matou a última preguiça gigante?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *